Ouça Na radiosnet

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Apesar do mando ser do Fluminense,  Maracanã dividido entre faixas de torcidas rubro-negras e tricolores, assim como iluminação da cobertura. Respeita portanto a tradição de divisão do estádio em jogos dos dois times.
Foto: Divulgação do Fluminense

Início de jogo em que o Fluminense marcou bem forte atrás da linha da intermediária com os dez jogadores, em um 4-1-4-1, alternando com subidas na marcação. Dificultava o Flamengo que não conseguia penetrar. Saída do Flu estava sendo mais em ligação direta.

Apesar de não ter torcida, o Fla-Flu teve, sim, um clima diferente dos outros jogos que vi após a epidemia. Jogadores gritavam muito mais, cobrava uns dos outros. Diego Alves, então, era capaz de acabar rouco neste ritmo.

Gilberto perdeu um gol livre na frente do goleiro ao cabecear fraco para defesa de Diego Alves. A chance surgiu depois de a zaga do Flamengo errar ao tentar afastar a bola em cruzamento.

Primeira chance do Flamengo só aos 28min. Cruzamento que Matheus Ferraz tirou no pé de Arrascaeta que chutou por cima. Time rubro-negro com muita dificuldade de criar lances diante do bom jogo do Flu.

Flu 1 x 0 Fla

Gol de Gilberto para o Fluminense em mais uma bobeada da zaga do Flamengo pelo alto. O desvio do cruzamento no meio do caminho sobrou na sua cabeça e os rubro-negros subiram mal para combate-lo.

Um primeiro tempo com um Fluminense bem ligado e consciente dos movimentos necessários para bloquear o rival e criar. Já o Flamengo em um ritmo meio de treino, sem a intensidade habitual, como se fosse ganhar o jogo a qualquer hora. Resultado refletiu isso.

Não tem torcida, mas as diretorias estão fazendo o papel de cornetas do juiz. Cada entrada mais dura é uma gritaria do lado rubro-negro ou tricolor.

Flamengo voltou girando a bola mais rápido para esse segundo tempo e, com isso, encontrou um ou dois espaços para concluir. Mas a marcação física e justa do Flu continuou a impor muita dificuldade ao time. E lembremos que, mesmo que canse, Flu ainda tinha quatro substituições.

Melhor chance do Flamengo no jogo em cruzamento perfeito de Filipe Luís que Gerson arrematou para fora de cabeça.

Flu cansou um pouco na marcação extremamente intensa que fez desde o início do jogo e dava mais espaços. Não por acaso já trocou dois, botando Yuri e Pacheco. Flamengo colocou Michael no lugar de Éverton Ribeiro para tentar impor correria.

Saiu Arrascaeta para a entrada de Pedro. Meias rubro-negros, ele e Everton, foram mal nesta noite. Flamengo apostou em ter mais gente na área e bola cruzada para jogar o Fluminense para perto do próprio gol.

Flu 1 x 1 Fla

Pedro fez o gol logo depois de entrar. Jogada de Michael para Filipe Luís que meteu na cabeça do centroavante. Lateral criou as duas melhores chances do time.

Pedro pelo Flamengo:

12 jogos (quatro como titular);
5 gols;
2 assistências;

Bruno Henrique perdeu na cara do gol sozinho. Espaço gerado pelo cansaço do Fluminense que pesava no momento. Time cometia erros de posicionamento, não acompanhava em todos os lances, falhava em passes, atacava com menos força.

Banco do Flamengo mudou o jogo. Enquanto o Flu caiu bastante, Pedro fez gol e Michael entrou muito bem no jogo. Segundo tempo em que time rubro-negro só não virou porque errou nas conclusões. Fla-Flu vai para os pênaltis.

Pênaltis

Dodi cobrou a meia altura o que é um presente para um pegador de pênaltis como Diego Alves.

Arão também cobrou a meia altura e Muriel pegou e igualou a série.

Léo Pereira bateu muito mal, longe da trave. Fluminense tinha a chance de passar à frente.

Defesa muito difícil de Diego Alves. E deu sorte porque a bola foi na trave e saiu.

Rafinha perdeu o seu pênalti em nova defesa de Muriel. Goleiro tricolor se mostrou um ótimo pegador de pênaltis também. Fluminense é campeão da Taça Rio e provocou a final do Carioca.

0 komentar:

Postar um comentário

Assine nosso canal - Youtube

#VemComNós

Os maiores campeonatos do planeta você ouve aqui!

Parceiros

Resenha Esportiva